Templates by BIGtheme NET
Home / Namoro Santo

Namoro Santo

NAMORO, SIGNIFICADO E ESCOLHAS

Não é novidade para ninguém que no mês de junho comemoramos o Dia dos Namorados, mas será que, de fato, entendemos qual é o significado do namoro?

Namorar é uma oportunidade de aprender a amar de verdade. Só se começa a compreender isso quando a vontade de fazer bem ao outro é maior do que a necessidade de tomá-lo para si. Como São Paulo nos diz: “O amor não busca seu próprio interesse”, (1 Cor 13).

“Ficar” é uma forma alternativa de relacionamento. Ela acontece, muitas vezes, a fim de que haja conhecimento prévio do outro, apesar de a amizade ser o melhor caminho. Contudo, para a maioria dos jovens isso se torna uma forma calculista de experiência amorosa. “Peguei dez ontem…”.

Todos nós temos a opção de buscar o que deseja, mas eu me pergunto: “Ficar com várias pessoas em um curto período de tempo é amor? Será que realmente faz bem, traz paz, preenche nosso vazio? É bom lembrar que amar é mais do que um emoção ou sentimento, é uma decisão! Por isso não é justo que se faça da outra pessoa uma “coisa”. Quantos casos ouvimos e vemos de pessoas que não desejam nenhum compromisso com o seu par!

O namoro também não é uma busca pela pessoa perfeita, pois “amar não é querer alguém construído, mas construir alguém querido”. E como o próprio ditado diz: “quem tudo quer nada tem”. É um tempo de conhecimento e escolha. É neste período de namoro que se deve investigar se o(a) namorado(a) atende as suas exigências, como saber se os valores de vocês são convergentes, se os objetivos de vida são os mesmos e, obviamente, se o outro deseja construir uma vida a dois mesmo que isso esteja longe de acontecer.

De qualquer modo, o importante é colocar o Senhor sempre a frente do relacionamento, presente ou futuro, para que Ele o guie na direção certa. A religiosidade que contornará o namoro conferirá ao homem e à mulher, ao rapaz e à moça, um tempo saudável,  no qual, conhecendo-se mutuamente, eles irão se descobrindo e fazendo a “grande escolha”, proporcionando também o crescimento pessoal de ambos.

Pode-se ver, caro(a) leitor(a), que para sua vida existem dois caminhos: um deles é fácil, sem compromisso e sacrifício; o outro, mais complicado, é de responsabilidade e de grandes conquistas. Qual você deseja seguir? Faça sua escolha!

Por Thiago Thomaz Puccini

Fonte: Destrave

Esperar pela pessoa adequada.

Por diversas vezes e de vários modos me indagaram: “Por que você não ‘fica’/namora?” Resumidamente, respondia: “Porque desejo fazer a vontade de Deus”. (Não quero ficar por aí “caçando” meninas).

Não foram poucas as vezes em que isso gerou incompreensões, motivos de zombaria amistosa ou impressão de incapacidade sedutora.

Essas confusões aconteceram e acontecem porque os valores contemporâneos e mundanos são recheados de uma busca por prazer que, geralmente, é efêmero. Encontra-se muito isso nos relacionamentos afetivos dos jovens.

O desejo prevalece sobre a vontade de Deus. O amor é superado pela paixão; então, ao menor sinal de desgaste, há o rompimento. Dessa forma, a experiência superficial prevalece àquela que é profunda.

Dificilmente, vi alguém se preocupar ou deixar claro se aquilo que busca é realmente o querer de Deus, seja no atual ou próximo relacionamento. Aliás, essa coisa chamada “ficada” é sinal de puro egoísmo. Assim como o “namoro” no qual a dimensão física supera a emocional e, principalmente, a espiritual. Tudo isso é pouco válido e só o compreende quando entende o que é amor. E aí, algo que muitos não percebem são as marcas profundas que ficam no coração daquele que se deixou “experimentar”.

As denominações novas ou desgastadas não servem!

Creio que Deus quer um namoro para os jovens, mas um namoro santo! No qual se viva a castidade, a fidelidade, o conhecimento e a doação mútuos.

Vale a pena esperar pela pessoa adequada, pois a “pessoa certa” não existe. E “pessoa errada”, se é que me entende, não é preciso o nosso esforço.

Isso ocorrerá, especialmente, quando houver uma verdadeira e pura amizade previamente. Tendo paciência e descobrindo um ao outro, juntamente com o desenvolvimento do próprio sentimento, é que ambos serão capazes de ter um relacionamento sadio.

Faça essa tentativa acompanhada de muita oração. E, então, tesouros inestimáveis você vai descobrir!

O que acha disso?

Por Thiago Thomaz Puccini

Fonte : Destrave

O caminho para um namoro santo.

O caminho para um namoro santo exige maturação, renúncia, espera e paciência

É maravilhosa a essência do amor em todas as suas faces, mas essa experiência perfeita se torna delicada e negativa quando se desvirtua de sua realeza. Amar é dom de Deus e por isso é uma experiência tão perfeita.

Amar é um exercício complexo e encantador, no qual deixamos de viver exclusivamente o nosso tempo para entrar, esperar e compreender o tempo de alguém. E aí temos de perceber a profundidade desse sentimento; amar é, sim, entrar no tempo do outro, é entender, perdoar, estar ao lado sempre, mas não é apoderar-se das vontades alheias nem possuir as rédeas da vida do outro.

Um amor verdadeiro não afasta as pessoas, mas as aproxima; não atropela as etapas que devem ser respeitadas. Não pertencemos a ninguém, não somos propriedade ou objetos de satisfação pessoal; o namoro é, antes de tudo, momento de conhecimento. Somos templo do Espírito Santo de Deus, pertencemos somente a Ele. Amar não é acorrentar, ao contrário é libertar o outro para um mundo diferente do isolamento, da autossuficiência.

Como diz padre Fábio de Melo, “Amor humano é devolução, é restituição. E aquele que aceita qualquer coisa, também será deixado por qualquer coisa”. Somos filhos do céu, filhos da luz, merecemos o Amor em sua mais fiel essência e pureza, não podemos nos contentar com migalhas, fantasias passageiras, promessas imaturas e impensadas. Amar exige maturação, exige renúncia, espera e paciência. É saber entrar no tempo do outro e, acima de tudo, saber permitir que o outro entre em nosso tempo quando isso, de fato, valer a pena.

Diante disso, procure um amor de verdade, diferente daquele que lhe manda flores, envia mensagens e cartões apaixonados; procure um amor que seja muito mais do que isso! Procure um amor que o ajude na caminhada árdua para chegar onde todos nós devemos ir: ao céu!
Um amor que ache seu terço a pulseira mais bela, seu escapulário o seu colar mais lindo, que veja nas suas roupas (avessas ao que o mundo prega) um sinal de pureza e integridade e a ache a mulher mais bela do mundo! Compreenda que, na hora da missão, a rasteirinha toma o lugar do salto alto, que o Evangelho é o mais lindo batom que deve sempre estar em seus lábios e encontre, no seu olhar de compaixão aos irmãos, o brilho mais bonito!

“Amar é, sim, entrar no tempo do outro, é entender, perdoar, estar ao lado sempre”

Aquele que entenda que as músicas ouvidas por você são sinal de oração e ligação profunda com o seu Maior Amado: Deus; compreenda que a Missa diária não é loucura ou fanatismo, mas uma necessidade; saiba que a sua Bíblia é o que nunca falta na sua bolsa! Aquele que compreenda sua vocação e a ajude a seguir nesta vontade do Pai!

Procure um amor que entenda a importância da adoração ao Santíssimo Sacramento, muito mais que um encontro de vocês! Que veja, nos retiros e congressos, pontes que poderão levá-los ao Eterno, e não se importe em adiar passeios e viagens por isso! Acredite que a castidade é o único caminho para um namoro santo e um matrimônio enraizado na fé!

Que sejam assim, desde o início, o nosso relacionamento, baseados em princípios e valores da Palavra de Deus e nos mandamentos da Igreja, é verdade que, nem assim, serão perfeitos; sempre passarão por dificuldades, mas é mais certo ainda que estarão no caminho certo, afinal estaremos construindo em rocha firme, portanto, nada poderá derrubar o que vêm de Deus! Por mais difícil que pareça, creia que Deus está preparando seu amado! Paz e Bem!

Giselle Ferreira (Membro da Comunidade Mariana Boa Semente – Quixeramobim/CE)

Fonte: Destrave 

Namoro, um ensaio para o futuro.

O namoro é uma das fases mais importantes da vida de um jovem, isso porque, nesse período, eles descobrem as alegrias e tristezas de um relacionamento a dois. O namoro é, então, um ensaio, para que o casal esteja preparado para um futuro matrimônio. Esse ”preparo” inclui a ideia de aceitar o outro de forma completa, de respeitar, inclusive, aquilo que não é agradável, mas que, em consequência do compromisso, foi assumido um tolerar e perdoar.

Isso significa que, além de ser maduro o suficiente para conviver e superar nossas falhas, também nos comprometemos a conviver e superar as falhas de quem quis trilhar esse caminho conosco. Se a vida do cristão é uma constante mudança para que nos pareçamos cada vez mais com Jesus, então, por qual razão nosso namoro não poderia fazer o mesmo? O maior problema dos namoros de hoje é que eles não têm um amadurecimento cristão e saudável; pelo contrário, têm destruído de maneira gritante a castidade, a pureza e a humildade, até mesmo o silêncio santo, as virtudes das quais a Virgem Maria é exemplo. E essas virtudes estão sendo esquecidas e transformadas em desgastes emocionais, que geram cicatrizes profundas na vida das pessoas. Muitas famílias não dão certo, não chegam a cumprir as promessas dos primeiros dias do casamento, pela falta de Jesus na vida do casal, pelo esquecimento dos votos que fizeram no altar; pois se isso tivesse sido bem firmado no namoro, haveria um amor mais sólido e duradouro.

Assumir um compromisso vai muito além das fotos a dois e das legendas de amor eterno; é necessário carinho, respeito, perdão, muita paciência e, principalmente, oração no cotidiano.

Muitos jovens sonham com um namoro surreal, aquele em que tudo é lindo e florido, cheio de encontros perfeitos com trilhas sonoras ao fundo. A realidade, meus irmãos, passa um pouco longe dessa fantasia.

Já dizia São Padre Pio de Pietrelcina: ” Quando amar, prepare-se para sofrer”. Essa máxima desse grande santo faz todo o sentido, pois o amor tem forte relação com o sofrimento. Fomos redimidos por um Homem do alto da cruz, que nos amou e sofreu por nós. Se Jesus sofreu, por que nós humanos errantes queremos nos privar disso? Amar exige sacrifícios, e se você não ama alguém a ponto de se sacrificar por essa pessoa, nem que for uma pequena parte do seu dia por ela, não leve esse relacionamento adiante. Jesus é a verdade e, por causa disso, a verdade sempre deve prevalecer, ou seja, se você está se deparando com um namoro destrutivo que o faz atuar, fingir e mentir, ser um personagem na vida do outro, logo não vale a pena continuar insistindo no mesmo ponto.

Lembrar que devemos ter esse pensamento no nosso namoro, para que não façamos opções equivocadas e venhamos a falhar com nossa futura família, seria portanto, uma forma simples de se evitar uma destruição maior dentro de um casamento, que é uma esfera muito mais sagrada, um sacramento.

Escolhas erradas geram histórias frustradas. Não se frustre! Lembre-se sempre de que todo o namoro nasceu para o término, ou seja, ou ele terminará no altar, dando lugar à vida sacramental do matrimônio, ou antes disso. É uma realidade dura, mas a verdade mais pura de se dizer.

Por fim, existem duas saídas: lutar pelo seu namoro, para que ele se transforme em uma aliança firme com Deus, seguindo o exemplo da Virgem Maria e de São José, ou ter de renunciar essa vida a dois, para que você possa aprender primeiramente a buscar a santidade como filho do Criador, para depois fazer o mesmo como casal. Se você conseguir colocar em prática o amor de Deus no seu namoro, sem dúvida o seu casamento terá grandes chances de perpetuar.

Fernando Henrique de Aguiar Souza

Fonte: Destrave